Dia 22 – 20180111: Primeiro Dia em Calgary

Estou escrevendo hoje, dia 12/1/18, sexta-feira, ainda de manhã, sobre o dia anterior, dia 11. Terminei o artigo sobre o dia 10 com um adendo, escrito de Cleveland, por volta das 21h.

Logo em seguida fui dormir, porque tinha de acordar às 3h30, pois havia marcado ir para o aeroporto no shuttle bus das 4. Como bom filho de mineiro, eu gosto de chegar ao aeroporto bem cedo. Meu vôo para Toronto saía às 6h15 – e o hotel era bem perto do aeroporto.

Chegando ao guichê da Canada Air, a moça fez uma observação de que eu estava chegando cedo… Disse-me que o voo para Toronto estava basicamente vazio: apenas sete passageiros. Perguntei a ela quantos lugares havia no avião e ela me informou que 50. O avião era um modelo CRJ-200 da canadense Bombardier, operado pela Air Canada Express – Air Georgian.

Passei a Segurança e a Imigração sem problemas – só que com uma surpresa. Quem acompanha este blog sabe que a Paloma se gabou de que, no voo de Newark para Cleveland ela ganhou o status TSA Pre✓® e eu não. Esse status libera a pessoa, sob a responsabilidade da companhia aérea, de tirar sapatos, cinto, casaco, etc. ao passar pela Segurança. Pois é, no voo de Cleveland para Toronto, eu ganhei o mencionado status e passei basicamente batido pela Segurança – só tendo de tirar o computador da mochila.

Uma outra novidade é que, no Brasil, quando fomos visitar o site do Consulado Canadense para atualizar nossos vistos, permitindo-nos, assim, dar um pulo ao Canadá, como está fazendo agora, descobrimos que, no caso de brasileiros, que eles não têm necessidade de passar pelos procedimentos regulares para obter um visto no passaporte SE eles têm um visto válido para os EUA. O raciocínio dos canadenses é que os EUA são muito mais rigorosos nos procedimentos de segurança do que eles próprios e, portanto, se os EUA disseram que a pessoa estava OK, quem seriam eles para negar… A única coisa necessária é fazer um registro no site do Consulado Canadense, fornecer seu número de passaporte e o número e a data de seu visto americano. Isto feito, eles lhe enviam um número de autorização de entrar pelo ar no território canadense (não sei por que fizeram essa limitação), que fica vinculado ao seu número de passaporte por cinco anos.

No embarque a funcionária checou meu passaporte e o sistema dela já acusou que eu tinha eu tinha o número e qual era, de modo que nenhuma outra burocracia foi exigida. Antecipando-me, ao chegar em Toronto, a Imigração simplesmente olhou meu passaporte, fez a verificação no computador e me liberou apenas perguntando quanto tempo eu iria ficar no Canada e onde.

O voo, em si, curtíssimo (40m), foi tranquilo. Serviram um copo de café com leite (que podia ser substituído por refrigerante) e duas bolachinhas. Ao chegar em Toronto, tinha pouco tempo para a conexão. Só deu tempo para passar na Lounge da Star Alliance e tomar um café da manhã mais reforçadinho do que o do avião.

Às 8h45 saí para Calgary. O avião era um Airbus A-320-200, grandinho e lotado. Vim a viagem toda lendo no meu tablete. Serviram café duas vezes. Como era voo doméstico no Canadá, qualquer outra coisa além de café, refrigerante e as benditas bolachinhas era cobrada. Como tinha tomado um bom café da manhã na longe, não comprei nada.

O voo de Toronto até Calgary durou basicamente quatro horas. Cheguei a Calgary às 10h45 (porque Calgary está duas horas atrás de Toronto, que está no mesmo fuso horário de Cleveland e New York). Assim, ao chegar, eu estava cinco horas atrás do horário em São Paulo e duas horas atrás do horário em Cleveland.

O meu primo estava me aguardando no aeroporto, fomos para a casa dele, que fica a uns 40 km do aeroporto. Estradas perigosas, cobertas de neve, escorregadias… Fiquei conhecendo o cachorrinho dele, Scott, comemos algo e depois saímos, porque ele tinha várias coisas para fazer. Muito frio fora de casa. Antes de sair de casa aproveitei e vesti o meu “mijão” pela primeira vez. Serviu-me bem e é bem confortável. Passamos o resto do dia basicamente na rua. Passamos numa padaria muito bacana e compramos umas besteiras para comer à noite acompanhadas de vinho…

Fui dormir cedo (por volta das 21h), porque tinha me levantado antes das 3h30. Acordei hoje (12/1/18) por volta das 4h da manhã, hora local (6h em Cleveland e 9h no Brasil).

Hoje vamos andar pelo centro da cidade para eu conhecer. Enquanto andamos, o papo corre.

Mas estou morrendo de saudades da Paloma… 😦  Mando um beijo para ela.

Assim foi meu dia de ontem – o dia da transição entre Cleveland e Calgary, via Toronto.

PS: Ontem fez três semanas (21 dias) que saímos do sítio em Salto, dando início oficial às nossas férias (em 21 de Dezembro de 2017). A Paloma trabalhou até o dia anterior.

Em Calgary, 12 de Janeiro de 2018.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s